quarta-feira, 28 de julho de 2010

Nino Miraldi - Momento para uma homenagem


EXEMPLO DE VIDA, FÉ E DOAÇÃO

Padre Nino Miraldi atuou na Baixada Fluminense de 1980 até 1990, dirigindo uma paróquia que compreendia os bairros de Califórnia, Fraternidade, Vila Nova, Santo Elias, Juscelino e Jacutinga. Era a antiga paróquia de São José Operário – Califórnia, que após a sua morte foi dividida em duas paróquias: a de São José Operário e a de Santo Elias.

Nascido na Itália, filho de família influente, tendo abandonado a faculdade de Medicina, tentou a carreira Diplomática, mas acabou conquistado por sua vocação e fez opção pelos mais pobres. Escolheu evangelizar no Brasil, começando em Vila Kennedy, subúrbio do Rio de Janeiro, veio posteriormente, atuar na Diocese de Nova Iguaçu, e junto com o Bispo Dom Adriano Hipólito e outros padres vivenciou a opressão da Ditadura Militar.

Fundou as comunidades católicas de Nossa Senhora da Conceição em Juscelino, Santa Luzia e Divino Espírito Santo em Vila Nova, Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora Aparecida e a Capela de São Francisco em Jacutinga. Fundou também uma escola profissionalizante e uma creche no mesmo bairro.

Dava sinais claros de solidariedade, humildade e auto doação, quando fazia questão de residir no bairro de Santo Elias, na rua que hoje leva o seu nome, ficando assim, bem próximo aos mais carentes. Era comum Pe. Nino ser chamado no meio da madrugada para levar moradores ao hospital, e ele os levava, em uma época em que o bairro de Jacutinga apresentava os piores índices de violência da Baixada Fluminense.

Apoiava fortemente a campanha de doação de alimentos para os mais pobres, chamada Campanha do Quilo.

Incentivador das organizações populares e da formação política, antes da Assembléia Constituinte de 88, levou o debate para dentro das casas dos fiéis, explicando, em grupos didáticos, a importância da Constituição para o país.

Influenciava incessantemente os jovens para que eles buscassem formação pessoal e participação social. Sua influência atingiu pessoas conhecidas como o atual Prefeito de Mesquita, Artur Messias e a coordenadora de Gestão Participativa da Prefeitura Gisela Barros. Também a jovens menos conhecidos que fundaram a Associação Cultural Nino Miraldi em Jacutinga onde funcionam o pré-vestibular, a biblioteca e outros serviços comunitários.

Mesmo vinte anos após seu falecimento o exemplo de Padre Nino Miraldi permanece vivo entre os que o conheceram e é apaixonadamente recordado para todos aqueles que não tiveram a oportunidade de conhecê-lo.

Diante da desvalorização da vida em uma sociedade consumista que incentiva a superficialidade nas relações humanas e trata com indiferença a exclusão dos mais necessitados, recordar Nino Miraldi, para muitos, é mais que um alívio, é também motivo para questionar tudo isso. Alguns, talvez os mais humildes de coração, vão além e acreditam que ele realmente foi um homem santo.

Em 29/07/2010 - 20 anos de seu falecimento.
André Souza