segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Traduzir-se

Ferreira Gullar

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Caçador de mim

POR TANTO AMOR, POR TANTA EMOÇÃO
A VIDA ME FEZ ASSIM
DOCE OU ATROZ, MANSO OU FEROZ
EU, CAÇADOR DE MIM

PRESO A CANÇÕES
ENTREGUE A PAIXÕES QUE NUNCA TIVERAM FIM
VOU ME ENCONTRAR LONGE DO MEU LUGAR
EU, CAÇADOR DE MIM

NADA A TEMER
SENÃO O CORRER DA LUTA
NADA A FAZER
SENÃO ESQUECER O MEDO
ABRIR O PEITO À FORÇA
NUMA PROCURA
FUGIR ÀS ARMADILHAS DA MATA ESCURA

LONGE SE VAI, SONHANDO DEMAIS
MAS QUANDO SE CHEGA ASSIM
VOU DESCOBRIR O QUE ME FAZ SENTIR
EU, CAÇADOR DE MIM

Miltom Nascimento